Pular para o conteúdo principal

Resenha | O que me faz Pular - Naoki Higashida


Editora: Intrínseca
Páginas: 192
Estrelas: ✬✬✬
Publicado originalmente em 2005

Naoki Higashida sofre de autismo severo. Com grande dificuldade de se comunicar verbalmente, o jovem aprendeu a se expressar apontando as letras em uma cartela de papelão, e, aos treze anos, realizou um feito extraordinário: escreveu um livro. Delicado, poético e profundamente íntimo, O que me faz pular traz uma nova luz para entendermos a mente autista. O jovem explica o comportamento muitas vezes desconcertante das pessoas com autismo e compartilha conosco suas percepções de tempo, vida, beleza e natureza, apresentadas em um relato e um conto inesquecível.

Eu ganhei esse livro no PsychoSunday, do blog Psychobooks. Eu achei a proposta interessante, de aprender um pouco mais sobre autismo pela voz de um autista. Além disso, vocês sabem que eu tenho um fraco por histórias de superação e a superação desse menino foi enorme.

Naoki, aos 13 anos, conseguiu, através de muito esforço, se comunicar através da escrita. Com o auxílio de sua mãe e de profissionais, eles elaboraram uma espécie de teclado, para que ele pudesse se expressar, já que seu tipo de autismo é daqueles extremamente severos para a comunicação.

O livro é estruturado através de perguntas e respostas, coisas como por que você não olha as pessoas nos olhos? Por que não gosta que lhe toquem? Por que você pula?

Ele tenta responder o que pode, mas também não age como dono da razão, ele admite que tem coisas que simplesmente são e que ele não tem as respostas, faz parte da sua personalidade. Entretanto, ele também tenta generalizar, não sei se ele tem contato com outros autistas, mas ele fala utilizando a primeira pessoa do plural, como "fazemos isso porque..."

É um livro bem singelo, mas bonito na sua simplicidade. Como eu disse, o menino teve que se superar muito para conseguir se comunicar apesar das suas dificuldades. Mesmo falando expressamente de sua condição, dá para notar que ele é um menino adolescente como os outros, com desejos e aspirações, ele almeja ser escritor "quando crescer", embora já seja.


E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog no Google Friend Connect.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Leituras da Semana #42

Nessa semana tirei do caminho um calhamaço de 800 páginas, Outlander - A viajante do tempo. Que livro bom, envolvente, da categoria é grande, mas é rapidíssimo de ser lido.

Conta a história de Claire, que vive em 1945, salvo engano. Ela é casada, mas passou afastada do marido graças à guerra, quando serviu de enfermeira. Eles estão finalmente indo construir um lar quando, num monumento escocês, um agrupado de pedras bem estranho, ela volta no tempo e reaparece 200 anos antes, na época dos clãs escoceses.

Lá, ela é obrigada a construir uma nova vida, pelo menos até que consiga voltar para o seu próprio tempo. Só que ela acaba envolvida numa outra guerra, e suspeitam que ela seja uma espiã inglesa. Bom, aí a vida complica. Mas ao mesmo tempo, ela conhece Jamie ♥ e até que não fica tão difícil assim viver sem banhos quentes.

Gostei muito do livro, acho que ele é super abrangente em temáticas, tem diálogos interessantes e engraçados e por mais que seja longo, as páginas foram bem explorad…