Pular para o conteúdo principal

Projeto 1001 #11 | Rebecca - Daphne du Maurier


Editora: Abril
Páginas: 396
Estrelas: ✬✬✬✬✬
Publicado originalmente em 1938 com o título de Rebecca


Publicado em 1938, Rebecca é talvez o romance por que Daphne du Maurier é hoje mais lembrada. Ao lê-lo entramos numa atmosfera onírica, sombria, alimentada por segredos que os códigos sociais obrigam a permanecer ocultos e que se concentram na misteriosa mansão Manderley. É para esta mansão que a narradora, uma jovem humilde, vai viver com o viúvo Maxim de Winter, ao aceitar o seu pedido de casamento. Mas então descobre que a memória da falecida esposa, Rebecca, se encontra ainda viva e que esta era tudo o que ela nunca será. À medida que o enredo se desenvolve, ela terá de redefinir a sua identidade num cenário em que os sonhos ameaçam tornar-se pesadelos…

Esse livro está tanto no Projeto 1001, como na lista de 20 livros impactantes escritos por mulheres. 


Eu não sei exatamente como descrevê-lo, ele lembra em estilo de Jane Eyre e O Morro dos Ventos Uivantes, mas vai um pouco além.

Começo pelo título do livro. Rebecca não é uma personagem do livro, mas é a protagonista da história que é contada. Já de início, sabemos que Rebecca está morta e a personagem-narradora ocupa seu lugar, como nova Mrs. de Winter.

Ele é contado do futuro, depois de tudo acontecer e relembrando como foram os acontecimentos da época. Desde quando a nova Mrs. de Winter não tinha esse título e era uma simples acompanhante de uma senhora.

Numa viagem, ela conhece e se apaixona pelo Sr. de Winter e ambos se casam, indo morar em Manderley. Mas não se trata de um romance. Tem um suspense que percorre pela história do casal, a sombra de Rebecca sempre se impõe.

É como se Mrs. de Winter, que não é nomeada ao longo do livro, pegasse a vida de Rebecca de onde ela parou e continuasse. Seja mantendo a casa ordenada da mesma forma, tentando se vestir da mesma forma, sempre se perguntando sobre o que Rebecca faria em tal situação.

Toda a história vai construindo uma angústia. É como se Rebecca não tivesse saído da vida dos personagens. Em certo ponto, como em Jane Eyre, achei que a história teria uma reviravolta sobrenatural, mas não. As respostas chegam ao final. 

A linguagem do livro é muito bonita. A autora soube explorar as palavras para construir o thrill da história. É envolvente, quanto mais você lê, mais quer ler. É um livro realmente fantástico, que valeu a leitura.

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog no Google Friend Connect.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Leituras da Semana #42

Nessa semana tirei do caminho um calhamaço de 800 páginas, Outlander - A viajante do tempo. Que livro bom, envolvente, da categoria é grande, mas é rapidíssimo de ser lido.

Conta a história de Claire, que vive em 1945, salvo engano. Ela é casada, mas passou afastada do marido graças à guerra, quando serviu de enfermeira. Eles estão finalmente indo construir um lar quando, num monumento escocês, um agrupado de pedras bem estranho, ela volta no tempo e reaparece 200 anos antes, na época dos clãs escoceses.

Lá, ela é obrigada a construir uma nova vida, pelo menos até que consiga voltar para o seu próprio tempo. Só que ela acaba envolvida numa outra guerra, e suspeitam que ela seja uma espiã inglesa. Bom, aí a vida complica. Mas ao mesmo tempo, ela conhece Jamie ♥ e até que não fica tão difícil assim viver sem banhos quentes.

Gostei muito do livro, acho que ele é super abrangente em temáticas, tem diálogos interessantes e engraçados e por mais que seja longo, as páginas foram bem explorad…