Pular para o conteúdo principal

Resenha | Quem Sabe um Dia - Lauren Graham

Editora: Record
Páginas: 368
Estrelas: ✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2013 com o título de Someday, Someday, Maybe

Franny Banks é uma atriz lutando em Nova York, com apenas seis meses para o prazo de três anos que deu a si mesma para ser bem sucedida. Mas até agora, tudo o que ela tem para mostrar por seus esforços é uma única linha em um anúncio de camisolas feias de Natal e um emprego de garçonete degradante. Ela vive no Brooklyn, com duas companheiras de quarto, Jane - sua melhor amiga de faculdade, e Dan, um escritor de ficção-científica, que é muito, definitivamente não namorável. E está lutando por seus sentimentos por um cara suspeitamente charmoso de sua aula de atuação, tudo isso enquanto tenta encontrar um shampoo para seus cabelos que realmente funcione. Enquanto isso, ela sonha em fazer um trabalho "importante", mas parece que ela só consegue audições para propagandas de detergente líquido e comerciais de manteiga de amendoim. É díficil dizer o que vai acontecer primeiro: ela vai ficar sem tempo ou sem dinheiro, mas de qualquer forma, o fracasso significaria enfrentar o fato de que ela não tem absolutamente nenhum habilidade para sobreviver no mundo real. Seu pai quer que ela volte para casa e vire professora, seu agente não vai chamá-la de volta, e sua colega de aulas, Penelope, que parece incentivadora, pode só tornar a competição ainda mais difícil. Quem Sabe Um Dia é uma estreia engraçada e encantadora sobre encontrar a si mesmo, um amor e o mais difícil de tudo, encontrar um trabalho como atriz.

Claro que tive que ler esse livro por se tratar da Lauren Graham, atriz que fez Gilmore Girls como Lorelai e agora faz Sarah, em Parenthood.  Ambos os papéis são ótimos e agora, como escritora, não fiquei decepcionada também.

Acredito que a Lauren deve ter se inspirado em si mesma para escrever esse livro. Afinal, Franny é uma aspirante a atriz que está tentando ganhar a vida em Nova York. Eu imaginei a Franny com a mesma aparência da autora, foi impossível separar as duas nesse sentido.

Se trata de um chick-lit bem bacana. Cheio de facetas, como dá para notar pela sinopse. A história principal talvez não seja o romance, ou seja em mesma medida sobre a carreira dela. Achei que o romance ficou se encaixando na vida dela e não ao contrário, o que deu um toque muito real.

Adorei conhecer um pouco dos bastidores do mundo do entretenimento, com seus atores e roteiristas. Tem aspectos bem glamourosos, assim como aspectos de futilidade. Esse cara que ela se envolve, seu colega do curso de atuação é aquele tipo de pessoa que se aproveita das pessoas, das conexões para subir na vida.

O livro intercala entre a história de Franny e anotações de sua agenda, já que seu prazo de 3 anos para "fazer bonito" na cidade grande está acabando. Eu gostei bastante dessa parte do livro, porque me identifiquei. Quem nunca se deu um prazo para fazer alguma coisa? Quase como resoluções de ano novo, fadadas ao fracasso.

Os personagens são bem construídos, não são rasos. É claro que o passado de Franny é mais explorado, por ela ser protagonista, mas os outros também acabam se encaixando. Aliás, Franny tem esse nome em homenagem a Franny do livro Franny e Zooey, do J. D. Salinger, mesmo autor de O Apanhador no Campo de Centeio. Tem uma parte no livro em que ela entende a personagem Franny do Salinger, muito amor ♥

É um chick-lit gostoso de se ler. Achei que ele ficou a cara da atriz. Recomendado para quem acompanha a Lauren Graham ou está afim de ler um romance despretensioso.

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

TBR Março/2016

Eu poderia ter vergonha de dizer que não concluí a minha meta de Fevereiro, porém, considerando que eu sempre soube que era ambiciosa, não tenho haha
Faltou ler: O Segundo Sexo, The Two Towers e Ases nas Alturas. Faltou em partes... o único que eu não consegui nem pegar para começar foi o Ases nas Alturas. Eu li metade de The Two Towers, restando a outra metade para março. E consegui ler mais uma parte d'O Segundo Sexo.
Então, não foi um fracasso total, né? Bom, estes livros vão passar para a meta de março com alguns acréscimos:
Fundação e Terra, continuando o box extra da Fundação. Estou loooouca para saber o que vai acontecer em seguida!
Clube da Luta, porque a Dani do Só Lendo comentou sobre e fiquei muito curiosa para saber o que eu iria achar. Terminei de ler ontem mesmo, e como eu nunca tinha percebido o sabonete na capa?
A luz fantástica do Terry Pratchett, seguindo com a série Discworld. Fiz a loucura de comprar a série inteira no sebo, agora tenho que ler. Começarei a ler h…