Pular para o conteúdo principal

Resenha | Impecáveis - Sara Shepard

Pretty Little Liars #2
Editora: Rocco
Páginas: 336
Estrelas: ✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2006 com o título de Flawless


Spencer roubou o namorado de sua irmã. Aria ficou com o coração partido em relação ao seu professor de Inglês. Emily começou a gostar de sua nova amiga Maya. . . tanto quanto de seu amigo. A obsessão de Hanna pela aparência impecável está lhe fazendo mal. E seu segredos mais terríveis ainda é tão escandaloso que a verdade iria arruina-las para sempre.



Essa série é meu guilty pleasure, é bastante fútil, mas é divertida.  Não é o tipo de história que permanece na cabeça depois de lido, é fácil esquecer os detalhes. 

Esse livro começa contando o que aconteceu com a Jenna e a história se desenrola daí. Elas continuam distantes, sem retomar a amizade antiga até uma festa.

Li este livro bastante tempo depois de ler o primeiro e a autora fez um ótimo trabalho em nos lembrar em que pé a história está e continuar a história.

Eu gosto bastante da Aria, com seus tricôs, livros de filosofia e estilo alternativo. Acho que me identifico mais, mas todas as protagonistas vão evoluindo em questão de personalidade. Esses livros contam um período de tempo muito curto, mas acredito que como a série é grande, elas vão ser exploradas no seu potencial.

A teia de mentiras criada vai crescendo e os mistérios continuam. Quem é "A"? Será Toby que reapareceu depois de ter levado a culpa pelo que aconteceu com a Jenna? Como "A" sabe de tudo?

Vocês sabem que eu acompanho a série de TV que está adaptando os livros. O final do livro é bem diferente do rumo que a série seguiu, o que me manteve curiosa para seguir lendo os livros, mas tenho que dizer que prefiro a série de TV aos livros. 

Na TV as coisas tomam um rumo muito mais sombrio, mais misterioso e violento. Enquanto nos livros, creio que sejam mais leves e coloridos como suas capas. Esse livro me pareceu capítulos do meio da novela, sabe? Sem acrescentar muita coisa...até o seu final, que foi surpreendente e me deixou curiosa.

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Resenha | Os Instrumentos Mortais - Cassandra Clare (parte 2)

Se vocês viram a parte 1 sobre Os Instrumentos Mortais, vocês sabem que eu dividi a série em duas trilogias para comentar por aqui. Naquele post eu explico que, na minha opinião, essa divisão é viável e facilita para comentar sem dar spoilers. Lembrando que terá spoilers dos livros anteriores.
Os três últimos livros da série são: Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celestial.
Bom, quero começar falando que graças a Deus no terceiro livro "descobrimos" que a Clary e o Jace não são irmãos. Eu já comentei na parte 1 que isso tinha ficado óbvio para mim desde o momento em que a autora resolveu dar essa guinada na história. Achei desnecessário, inacreditável e me irritou muito quando estava lendo.

Nessa segunda trilogia, há uma troca de vilões, agora Sebastian mostrou a que veio. Que, sinceramente, também é perceptível ao leitor desde que o personagem é introduzido.

Porém, tirando Cidade dos Anjos Caídos, que eu não gostei nada, acho que a história…