Pular para o conteúdo principal

Resenha | Princesa Adormecida - Paula Pimenta

Editora: Galera Record
Páginas: 192
Estrelas: ✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2014.

Era uma vez uma princesa... Você já deve ter ouvido essa introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas essa princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada romântica como são os contos de fada. Muito pelo contrário. Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim isso tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que de uma hora pra outra, tudo mudou. Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real, nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida. Se alguma vez passar por isso, saiba que você não é a única. Eu não conheço a sua história, mas a minha é mais ou menos assim...



 Essa é a resenha do segundo livro que li para a II Maratona Literária #EuSouDoideira. O primeiro foi Wicked, que já está postado com seus devidos comentários.

Depois do cansaço que levei com o livro do Gregory Maguire, quis pegar um livro que fosse rapidinho de ler, prazeroso, gostosinho e bem leve. Não me decepcionei. Princesa Adormecida me entregou tudo isso.

A Áurea/Rose vive no Brasil com os tios e é superprotegida, sem poder curtir a vida como uma adolescente normal. Ela sempre acreditou que toda essa proteção era porque seus pais tinham morrido quando ela era pequena e, logo, seus tios ficaram temerosos com sua vida. Porém, ela descobre que não é bem isso e que, na verdade, ela é a princesa de Liechtenstein, um reino europeu.

Achei que a Paula Pimenta fez uma adaptação bem fiel com a história original, da Bela Adormecida. Ao mesmo tempo em que manteve vários aspectos intocados, deu uma modernizada legal na história.

Não espere uma grande história de amor e intrigas, acredito que a proposta seja de um livro divertido e leve para entreter seu público alvo e nisso ele entrega com maestria. É aquele tipo de livro que você já começa sabendo o final, que tem várias coisas mirabolantes, mas que te emociona, te faz rir, te diverte.

Eu não me apaixonaria pelo príncipe dessa história. Isso foi uma decepção, confesso. Mas acho que a Áurea/Rose é uma adolescente bem típica, dá para criar uma empatia legal. Seus tios são bem clichês também, mas eu achei impossível não gostar deles; são como as fadas madrinhas da menina.

Li essa história em uma sentada sem grandes desafios. A narrativa é intercalada com reportagens e outros "anexos" como o convite do casamento dos pais e coisinhas assim, super fofo. E é contada da perspectiva da protagonista.

Como é exigência da Maratona, resta selecionar uma música. Eu escolhi uma trilha sonora para embalar o amor dos personagens. Lá vai:


E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

  1. Princesa Adormecida realmente é uma leitura leve e gostosa, mas que não passa disso. Muita gente leu com as expectativas altas e acabaram decepcionando. Eu adorei a história e gostei muito da protagonista. Ótima resenha!

    Beijo,
    Naty.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, concordo ctg! Ele deve ser lido pelo que é, divertimento! Sem muitas expectativas, só vontade de rir mesmo hehe

      Beijos!

      Excluir
  2. Que bom que você fez a resenha, Rafa! Vi algumas resenhas negativas sobre o livro e fiquei meio em dúvida se valia a pena ler, apesar de adorar a escrita da Paula!! Talvez eu pegue algum dia qd precisar de um livro mais leve, igual vc comentou!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato! Quando vc quiser rir bastante, ler aquele tipo de livro que passa o tempo sem muita profundidade, ele é perfeito!!

      Beijão

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

TBR Março/2016

Eu poderia ter vergonha de dizer que não concluí a minha meta de Fevereiro, porém, considerando que eu sempre soube que era ambiciosa, não tenho haha
Faltou ler: O Segundo Sexo, The Two Towers e Ases nas Alturas. Faltou em partes... o único que eu não consegui nem pegar para começar foi o Ases nas Alturas. Eu li metade de The Two Towers, restando a outra metade para março. E consegui ler mais uma parte d'O Segundo Sexo.
Então, não foi um fracasso total, né? Bom, estes livros vão passar para a meta de março com alguns acréscimos:
Fundação e Terra, continuando o box extra da Fundação. Estou loooouca para saber o que vai acontecer em seguida!
Clube da Luta, porque a Dani do Só Lendo comentou sobre e fiquei muito curiosa para saber o que eu iria achar. Terminei de ler ontem mesmo, e como eu nunca tinha percebido o sabonete na capa?
A luz fantástica do Terry Pratchett, seguindo com a série Discworld. Fiz a loucura de comprar a série inteira no sebo, agora tenho que ler. Começarei a ler h…