Pular para o conteúdo principal

Resenha | A Tormenta de Espadas - George R. R. Martin


As Crônicas de Gelo e Fogo #3
Editora: Leya
Páginas: 884
Estrelas: ✬✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2000 com o título de A Storm of Swords

Compre na Amazon: A Tormenta de Espadas - As Crônicas de Gelo e Fogo - Vol. 3

A tormenta de espadas, o terceiro livro da série de George R. R. Martin, onde os Sete Reinos já sentem o rigoroso inverno que chega, mas as batalhas parecem estar mais cruéis e impiedosas. Enquanto os Sete Reinos estremecem com a chegada dos temíveis selvagens pela Muralha, numa maré interminável de homens, gigantes e terríveis bestas, Jon Snow, o Bastardo de Winterfell, que se encontra entre eles, divide-se entre sua consciência e o papel que é forçado a desempenhar. Robb Stark, o Jovem Lobo, vence todas as suas batalhas, mas será que ele conseguirá vencer os desafios que não se resolvem apenas com a espada? Arya continua a caminho de Correrrio, mas mesmo alguém tão desembaraçado como ela terá grande dificuldade em ultrapassar os obstáculos que se aproximam. Na corte de Joffrey, em Porto Real, Tyrion luta pela vida, depois de ter sido gravemente ferido na Batalha da Água Negra; e Sansa, livre do compromisso com o homem que agora ocupa o Trono de Ferro, precisa lidar com as consequências de ser a segunda na linha de sucessão de Winterfell, uma vez que Bran e Rickon estariam mortos. No Leste, Daenerys Targaryen navega em direção às terras da sua infância, mas antes ela precisará aportar às desprezíveis cidades dos escravagistas. Mas a menina indefesa agora é uma mulher poderosa. Quem sabe quanto tempo falta para se transformar em uma conquistadora impiedosa?

Resenha de As Crônicas de Gelo e Fogo #1 - A Guerra dos Tronos
Resenha de As Crônicas de Gelo e Fogo #2 - A Fúria dos Reis

Não tenho nem palavras para descrever o quão excelente cada uma dessas 884 páginas são! Esse, com certeza, é meu preferido da série até o momento (e eu já li O Festim dos Corvos rs).

Os problemas no além Norte estão aumentando. Em centenas e milhares de anos não se ouviam três sopros. Um é para irmão retornando. Dois é um aviso de selvagens. E três, bom...três é para os Outros. 

Catelyn traiu os seus e libertou Jaime, sob a promessa de Tyrion que devolveria suas duas filhas e agora tem de conviver com as consequências de seus atos.

Arya está indo para Correrio ao encontro do irmão e da mãe. Bran está treinando para ser um warg. Tyrion tem de conviver com uma nova deformidade. Daenerys está construindo seu exército.

Em síntese, é essa a história do início do livro, porém, até o final muita coisa vai mudar. Eu não consigo decidir qual das linhas de narrativa é a melhor nesse livro. Adorei acompanhar os amores e dissabores de cada um dos personagens. Adorei conhecer personagens novos e conhecer melhor alguns outros que já estavam inclusos na saga.

Por exemplo, Bronn é um personagem extremamente interessante. Ele é leal ao mesmo tempo que é escuso. Tem um senso de humor muito engraçado e tem uma vibe bem dark. Gostaria muito de ler um capítulo escrito sob sua perspectiva, porque não consigo entendê-lo. Ele é intrigante nas suas atitudes.

Creio que Tyrion, de novo, merece algumas palavras. Ele já é anão, feio, deformado e, agora, com uma cicatriz que lhe cruza o rosto e sem nariz, sério, ele teve que desenvolver uma personalidade para "substituir" a beleza que lhe falta. Ele lê, e talvez por isso, tem um entendimento mais aprofundado do ser humano, das diferentes personalidades que existem e não se deixa enganar pelas aparências. Ele sabe que está num ninho de cobras e que talvez não possa confiar nem na própria sombra. É tão injusto que ele tenha ganho a batalha de Porto Real, tentado controlar o Joffrey (que é um caso a parte - nojo dele!) e a Cercei e ainda, comandou com uma certa honra a cidade, tentando manter uma certa ética nas relações, agora está sendo excluído e maltratado pela própria família. Ok, admito, odeio os Lannister, mas o Tyrion tem um lugar no meu coração <3

Outra parte muito interessante do livro é a que se passa com Davos, rei Stannis e a mulher vermelha. Além do maior destaque aos Tyrell - amei a rainha dos espinhos! E o Cão de Caça...

Eu costumo ir fazendo anotações enquanto faço a leitura. Se eu fosse transcrever todos os pensamentos que tive, tudo que me fascinou... bom, acho que ninguém leria a resenha haha

Mas, basicamente, se você já gostou dos primeiros livros, nesse vai se apaixonar, amar, virar fã, entrar no grupo de leitores que faz pressão no George (e chamar o George, de George, porque ele virou meu íntimo já) para escrever mais. As traições, as mortes, a politicagem, o sexo, as relações complexas, as religiões, enfim, todos os elementos que eu já tinha apreciado nos outros dois livros, nesse atingem a perfeição. Quando eu achei que não seria mais surpreendida, fui. Fiquei chocada. Incomodei tanto os meus amigos falando sobre esse livro que, atualmente, alguns começaram a ler a série, outros a acompanhar o seriado. 

Recomendado para qualquer fã de fantasia. Sem medo do tamanho, você não sente as páginas voando. A história chega em um ponto em que você é obrigado a abdicar de comida, banho e qualquer compromisso para continuar a leitura. É, esse livro é MUITO bom.

E você? Já iniciou a leitura dessa saga? Ainda não? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

  1. Rezando sempre para que George siga com saúde para terminar de escrever os livros. Não consigo nem imaginar como tudo vai acabar. E que chegue logo Os Ventos do Inverno!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me aguento mais para Os Ventos do Inverno! Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Resenha | Os Instrumentos Mortais - Cassandra Clare (parte 2)

Se vocês viram a parte 1 sobre Os Instrumentos Mortais, vocês sabem que eu dividi a série em duas trilogias para comentar por aqui. Naquele post eu explico que, na minha opinião, essa divisão é viável e facilita para comentar sem dar spoilers. Lembrando que terá spoilers dos livros anteriores.
Os três últimos livros da série são: Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celestial.
Bom, quero começar falando que graças a Deus no terceiro livro "descobrimos" que a Clary e o Jace não são irmãos. Eu já comentei na parte 1 que isso tinha ficado óbvio para mim desde o momento em que a autora resolveu dar essa guinada na história. Achei desnecessário, inacreditável e me irritou muito quando estava lendo.

Nessa segunda trilogia, há uma troca de vilões, agora Sebastian mostrou a que veio. Que, sinceramente, também é perceptível ao leitor desde que o personagem é introduzido.

Porém, tirando Cidade dos Anjos Caídos, que eu não gostei nada, acho que a história…