Pular para o conteúdo principal

Resenha | Adormecida - Anna Sheehan

Rosalinda Fitzroy - Livro 1
Editora: Lua de Papel
Páginas: 272
Estrelas: 2/5
Skoob
Publicado originalmente em 2011 com o título de A Long, Long Sleep.

 Rose Fitzroy esteve dormindo profundamente por décadas. Imersa num sono induzido, esquecida em um porão por mais de 60 anos, a jovem foi tratada como desaparecida enquanto os anos sombrios pairavam sobre o mundo. Despertada como por encanto e descobrindo-se herdeira de uma corporação multimilionária, Rose vai entendendo pouco a pouco, tudo o que aconteceu em sua ausência.
 Ela descobre que seus pais estão mortos. O rapaz por quem era apaixonada não é mais que uma mera lembrança. A Terra se tornou um lugar estranho e perigoso, especialmente para ela, que terá de assumir seu lugar à frente dos negócios.
 Desejando adaptar-se à nova realidade, Rose só consegue confiar numa única pessoa estranhamente familiar. Rose até gostaria de deixar o passado para trás, no entanto, ao pressentir o perigo, percebe que precisa enfrentá-lo - ou não haverá futuro.


Eu entrei nesse livro desavisada, espero corrigir isso para futuros leitores:

1- Esse livro é o início de uma série.
2- Tem temática alienígena, intergalática, etc.
3- Tirando o início da história, não tem mais nada a ver com contos de fadas.

Há uma chance de 50/50 de, ao pegar um livro que você não sabe nada além da sinopse, se frustrar. O meu caso só escapou da frustração nas últimas 70 páginas do livro.

Rose é uma "adolescente". É despertada por Bren, que a encontra por acaso imersa num sono de estase. Ele acha que estragou o sistema e por um minuto, acha que ela está morta, e faz respiração boca-a-boca. Aqui acabam-se as semelhanças com contos de fada, na minha opinião.

Sessenta e dois anos se passaram desde que ela foi colocada para dormir numa tecnologia do futuro, nesse tubo onde o tempo não passa, então ela acorda ainda com 16 anos e descobre que seus pais morreram, seu namorado morreu e o mundo está totalmente diferente, os "Tempos Sombrios" dizimaram com boa parte da população e o mundo teve que ser reconstruído.

Ao contrário do que a sinopse diz, ela não assume a empresa dos pais. Ela é mandada para a escola, a mesma escola de Bren, e faz amizade com os amigos dele. Dentre eles, com Otto, um alienígena azul, que foi meu personagem preferido ao longo da história.

Basicamente, o plot é esse. Ela tentando se adaptar. Até que um assassino profissional semi-morto a ataca, mas o foco da história só vai ser esse da metade para o fim do livro, que é quando a coisa começa a ficar interessante.

A Rose mantém ao longo do livro uma atitude de "desculpa por ter nascido". A única coisa que ela faz por si mesma é pintar, aparentemente ela é uma talentosa pintora de quadros. Sempre com seu caderno de desenhos, com raras exceções, ela só desenha duas pessoas, o Xavier e o Bren.

Minha classificação ao ler o livro era de 1 estrela, decepção total. A personagem me irritou demais. Em seus pensamentos, ela constantemente chorava e amava Xavier, seu namorado de 62 anos atrás, mas se apega ao "novo príncipe" Bren quase imediatamente e eu fiquei me perguntando, cadê aquele amor todo que ela sentia pelo Xavier? 

O relacionamento dela com o tal do Xavier também é digno de nota. Ele nasceu quando ela tinha 7 anos, acompanhou a vida dele, trocou fraldas do menino e por causa das suas frequentes "escapadas" em estase, quando ambos tem 16 anos, viram namorados. Achei bem estranho, para dizer o mínimo. Ele é um dos únicos personagens que ela se relaciona e para mim, passou a impressão de que ela "pegou para criar", se aproveitou do envolvimento dele quando criança. 

Uma única dúvida me manteve lendo o livro, para que eles usavam aqueles tubos de estase? E esperando a resposta dessa dúvida continuei lendo e acabei acrescentando uma estrela ao livro, uma e meia se o skoob permitisse notas quebradas. Bem no finzinho do livro a coisa mudou de figura e comecei até a gostar um pouco da história.

Eu não sou muito de ficção científica, mas era um gênero que eu queria conhecer mais, por isso esse livro foi para minha meta da Maratona Literária, porém acho que não foi uma boa escolha. A história é fraquinha, os personagens são fraquinhos, se não fosse a minha fraqueza por personagens "underdog" não teria gostado de nenhum.

Embora não seja uma leitura que eu recomende, se esse for o seu tipo de história e você quiser ler e continuar a leitura, o segundo livro da série se chama No Life But This e será publicado em agosto de 2014, segundo o Goodreads.

Alguém tem uma boa recomendação de livro sci-fi? Rs. Deixe nos comentários!

Comentários

  1. Olá, Rafa!

    A história parecia ser interessante... Mas é como você disse: a probabilidade da gente gostar depois da sinopse é 50/50. Existem muitos livros bem recomendados de ficção científica. Alguns eu ainda não li, mas te indico mesmo assim: 1984 (li), O Admirável Mundo Novo (não li), Eu, Robô (li, mas faz tempo) e Metróplis (não li). Esses todos são livros bem elogiados. A maioria recebeu adaptação pro cinema (só não tenho certeza quanto a Admirável Mundo Novo).

    O livro tinha realmente uma boa sinopse. Mas acredito que uma boa sinopse é como um bom trailer, contém as "melhores" partes da história. Se ele vai realmente ser boa ou não, só lendo pra saber.

    Beijos,

    Mari (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!

      Valeu pelas indicações! Da sua lista, eu só li 1984 e gostei bastante! Metrópolis eu nem tinha ouvido falar, vou anotar a dica e pesquisar!

      Para mim, as últimas 70 páginas salvaram toda a leitura, mas eu detesto quando autores deixam tudo para o final. Provavelmente eu não continuarei com essa série.

      Bjs!

      Excluir
  2. Diferente de você eu gostei bastante do livro, mesmo com algumas ressalvas me interessei bastante, principalmente por ser uma distopia!

    Beijos e boas leituras!!

    bruxinhaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, td certo?

      Esse é um dos meus fascínios com os livros, cada um lê um livro diferente ;)
      Se você ler, depois conta o que achou!

      Bjs

      Excluir
  3. Oi Rafa, tudo bom?
    É um livro que eu seria facilmente enganada pela sinopse e pela capa. Não tenho costume de ler ficção científica, mas o plot dessa história não chamou minha atenção. Ainda mais com uma protagonista cheia de mimimi.
    Beijos
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, foi exatamente isso que aconteceu comigo! haha
      Não sei como, nem por que, mas eu imaginei um romance adulto com toques de bruxaria... vai entender haha

      Bjs!

      Excluir
  4. (corrigindo)Olá.. olha, eu quase comprei este livro.. mas quando li a sinopse fiquei um pouco em dúvida.. ainda bem que li sua resenha que está ótima, pois se agora eu for ler o livro, já irei sabendo da temática dele..
    Beeijoos

    Olá.. olha, eu quase comprei este livro.. mas quando li a sinopse fiquei um pouco em dúvida.. ainda bem que li sua resenha que está ótima, pois se agora eu for ler o livro, já irei sabendo da temática dele..
    Beeijoos

    palacioliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cintia!
      Acho que em grande parte eu fui prejudicada na leitura por não saber que se tratava de temática alienígena. Quem sabe se eu entrasse no livro já sabendo, gostaria muito mais.
      Espero que vc goste, se for ler!

      Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Resenha | Eu Fui a Melhor Amiga de Jane Austen - Cora Harrison

Editora: Rocco
Páginas: 320
Estrelas: ✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2010 com o título de I Was Jane Austen's Best Friend

Chega ao Brasil o livro: "Eu fui a Melhor Amiga de Jane Austen" da autora Cora Harrison. A história tem o objetivo de introduzir os mais jovens ao empolgante mundo dos livros de Jane Austen. O livro traz uma combinação entre fatos históricos e ficção, apresentando a relação entre as adolescentes Jane Austen e sua prima Jenny Cooper.

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.