Pular para o conteúdo principal

Resenha | Insurgente - Veronica Roth



* Esse post conterá spoilers do primeiro livro!
Trilogia Divergente - Livro 2
Editora: Rocco
Páginas: 512
Estrelas: 5/5
-Publicado originalmente em 2012 com o título de Insurgent
- Resenha de Divergente: aqui.

Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor.


Esse livro começa exatamente de onde o primeiro terminou. Tris e os outros estão a caminho da sede da Amizade para pedir refúgio. Eles não sabem o que está acontecedo na cidade. A Erudição está fazendo uma busca por eles, serão acusados de crimes contra a humanidade.

A história gira em torno de uma informação que Jeaninne não quer que seja liberada, é a motivação para toda a simulação que aconteceu em Divergente. Os membros da Abnegação detém essa informação e pretendiam liberá-la, por isso, foram dizimados pela Erudição.

É diferente do primeiro, pois enquanto no primeiro tinhamos ação atrás de ação, esse é mais sombrio. A cidade está em guerra. Acabamos conhecendo muito sobre o funcionamento das outras facções, o que eu achei muito interessante, as diferenças entre elas são bem definidas.

Tris está tentando lidar com tudo que aconteceu e organizando o que sobrou da Audácia. A morte dos pais e a morte de Will afetam ela durante o livro todo, fazendo-a tomar atitudes diferentes.

Uma história que se desenvolve bastante é a de Tobias. Ele tem uma ligação com os sem facção que não tinha sido revelada no primeiro livro, mas que neste fica em evidência.

Além dos principais, entre os personagens secundários temos muitas reviravoltas. Uma quebra de confiança gigantesca com um dos personagens acontece, o que eu achei chocante, não esperava mesmo. E mais inesperado ainda, a "amizade" de quem também não esperávamos. Nesse livro não sabemos em quem confiar.

O fim desse livro é um gigantesco cliffhanger, sério, é doloroso. Recomendo a leitura desse livro somente quando for lançado em português o terceiro livro da série, Convergente ou se você consegue ler em inglês. Para mim foi fisicamente impossível não continuar direto na leitura de Allegiant, mas isso é assunto para outro post.

Eu não li esse livro tão rápido quanto o primeiro, mas também me absorveu bastante, acho que levei uns dois dias para ler e pulei direto pro terceiro, então não sei se fui coerente e citei tudo que foi interessante nessa resenha, mas espero que sim (haha).

Se você já leu esse livro, deixe nos comentários o que achou. Se não leu, pretende ler? O que achou de Divergente?

Comentários

  1. Oi Rafa, tudo bem?

    Não li esse livro ainda, tenho até o primeiro, mas ainda não criei ânimo de ler. Não sou muito fã de distopia e muito menos histórias com guerra. Um dia darei uma chance para essa série.

    beijos.

    Lu - www.leiturasedevaneios.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi! Td bem e ctg?
    O dia que você quiser dar uma diversificada, dê uma chance para essa trilogia. Eu já recomendei para todos os meus conhecidos (haha) pq viciei mesmo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Eu te entendo, colega! Rs. Insurgent me deixou MALUCO por Allegiant! Abalou Chicago e meu mundo todo. Vamos ver como a Veronica lidará com a situação, né?
    Abraço,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te digo que não me aguentei, fui ler em inglês mesmo, não consegui esperar hahaha, mas vou reler quando for lançado em português. Apaixonei por essa série!
      Bjs

      Excluir
  4. Eu acabei de comprar os dois livros de tanto que as pessoas me falaram bem deles. Sério, impossível fugir.
    Logo devo ler os dois livros! <3

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  5. Insurgente me deixou louca, desesperada atrás da continuação !
    Preciso do ultimo livro, urgente, espero que meu coração aguente. :)
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha super me identifiquei! Não se faz o que a Veronica Roth fez!!

      Bjs!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Resenha | Eu Fui a Melhor Amiga de Jane Austen - Cora Harrison

Editora: Rocco
Páginas: 320
Estrelas: ✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2010 com o título de I Was Jane Austen's Best Friend

Chega ao Brasil o livro: "Eu fui a Melhor Amiga de Jane Austen" da autora Cora Harrison. A história tem o objetivo de introduzir os mais jovens ao empolgante mundo dos livros de Jane Austen. O livro traz uma combinação entre fatos históricos e ficção, apresentando a relação entre as adolescentes Jane Austen e sua prima Jenny Cooper.